Maurice Ravel - Piano concerto em G (Sol maior)


Maurice Ravel foi um dos poucos compositores da música clássica, o qual reuniu com tamanha complexidade instrumentos e estilos diferentes em suas obras.

Desde criança iniciou os estudos de piano, porém, por mais que participasse de estudos na sala de aula. Preferia aprender sozinho, tanto é que mais tarde continuará seus estudos solitariamente.

Suas peças exigem uma grande habilidade do intérprete, mesmo esse concerto não sendo sua obra mais complexa se pode perceber essa dificuldade.

1- Allegramente
Tem-se uma grande influência do jazz americano, as notas rápidas e bem enfatizadas (devido à repetição) no piano.

2- Adagio assai
O jazz é abandonado e se incia a uma suavidade longa, relaxante, o piano conduz toda a melancolia. Aqui o ouvinte mergulha em um lago gelado, de algum sonho esquecido.

3- Presto
A parte final da obra retorna ao sentimento do Allegremente, o jazz retorna, os seus instrumentos típicos também. Existe um grande revitalidade maestral.
O sonhador sai do frio e retorna à terra, onde se aquecerá pelo jazz, como também pela grande eletricidade técnica.

Informação complementar: Antônio Vivaldi - As quatro estações
Informação complementar: Bachianas Brasileiras Nº 05 - Curiosidades

Fontes:
http://musicaclassica.folha.com.br/cds/24/biografia-3.html

http://ilhaquadrada.com/r…/concerto-para-piano-em-sol-maior/
Compartilhar Google Plus

Autor Roberto Tinée

    Blogger Comentario
    Facebook Comentario
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial